Texto Núcia Ferreira

Cássio Ramos
(Foto: Record)
Durante três temporadas da novela "Mutantes", na Record, Cássio Ramos teve tempo suficiente para ficar conhecido como Vavá, o menino lobo que conquistou o público. Quase 4 anos depois, ele volta às novelas como o adolescente Lucas, de Rebelde. O personagem é um gênio em história, geografia e português e uma nulidade em matemática. Mimado, ele acha que tudo pode ser do jeito que ele quer. “Ele é muito metido e sínico, mas muito gato”, brinca o ator. Com 13 anos, Cássio diz que muita coisa mudou em sua vida nesse período em que ficou fora da TV. “Eu cresci. Antes eu era gordinho, agora estou magro, mais alto. Todos que encontram comigo nos corredores da Record comentam a mudança e dizem: que isso, já está um homem!”, revela o ator, que fica um pouco tímido quando o assunto é ‘garotas’. Mas admite que continua paquerador como era na infância. “Nisso eu não mudei”, diz, sem revelar se está namorando firme.

Estava com saudade
Cássio Ramos em 2008
(Foto: Tony Andrade)
Conciliar a rotina de trabalho com a vida pessoal não é novidade para Cássio, mas depois de um tempo só se dedicando aos estudos, ele teve que se adaptar aos novos horários, mas tudo com muito prazer. “Estava com saudade. Quando soube que passei no teste, dei pulos de alegria”, conta ele, que fez recentemente uma participação na minissérie "Rei Davi". Entre a escola e as gravações, Cássio também continua fazendo aulas de teatro. “Mesmo quando não estava na TV continuei a fazer teatro para dar continuidade à carreira. No fim do curso vamos montar uma peça. Estou ansioso por isso”, admite. Em casa, Cássio tem a rotina parecida com a de outros garotos da sua idade. De manhã vai para a escola, onde cursa o 8º ano do Ensino Fundamental, e à tarde ele grava. O curso de teatro mudou para o sábado. Mesmo assim, ele tem tempo para o lazer com a família e os amigos. O ator ainda conta com a ajuda do irmão, Caio Vydal, na hora de passar os textos da novela. “Comecei a ser ator por causa do meu irmão, que sempre me disse o quanto era legal a profissão. Aí pedi para a minha mãe que me ajudasse e ela começou a me levar para fazer testes. Quero firmar nessa profissão”, finaliza.

Cassio Ramos
(Foto: Tony Andrade)