Texto Natáliza Zimbrão  / Fotos: Divulgação

Flávio Tolezani
(Foto: Divulgação)

Depois algumas participações na telinha, como o conquistador Luca, em Divã, Flávio Tolezani vive o protagonista Eduardo de Corações Feridos, do SBT. Mesmo assim, o ator se desvencilha da imagem de galã

TV Brasil - Como está sendo para você assistir à novela Corações Feridos depois de mais de um ano com o trabalho pronto?

Flávio Tolezani - Que bom que ela nasceu! Foi como gerar um filho e ficar sem poder vê-lo por mais de um ano. Passada a ansiedade agora sou quase como um espectador comum que torce pelos personagens. Ficou tão distante que algumas coisas me surpreendem. Gosto muito da novela. Boa trama, bem editada, linda fotografia. tenho orgulho de fazer parte dela. 

TV Brasil - Como você enxerga o Eduardo?

Flávio Tolezani - Um homem obstinado e pragmático que gosta de ter tudo sob controle. É extremamente generoso e bondoso, mas, foi abalado por alguns acontecimentos que tiraram seu chão.

TV Brasil - Como fez para preparar este personagem?

Flávio Tolezani - Tivemos um bom tempo antes de começar a gravar para estudar os primeiros capítulos. Tudo foi muito conversado com a direção e as relações entre os personagens foram minuciosamente estabelecidas. O mais distante da minha experiência pessoal era a vida na fazenda. Não sabia, por exemplo, nada de cavalo! Tive que treinar com instrutores até perder o medo e conseguir dominar o animal. Adorei!

TV Brasil - Você tem algo em comum com o personagem?

Flávio Tolezani - Com o Eduardo? Não. Não faria nada do jeito que ele faz. Em comum só a paixão por uma mulher [ele é casado com a também atriz Natália Gonçalves]. Sou apaixonado.

Flávio Tolezani
(Foto: Divulgação)

TV Brasil - O Eduardo vive o dilema da vingança pelo morte do irmão e o amor por Amanda, você já passou por algum situação em que teve que lidar com dois sentimentos tão opostos assim?

Flávio Tolezani - Não. Com essa intensidade, não. Isso é uma situação muito extrema.

TV Brasil - Quando decidiu seguir a carreira de ator?

Flávio Tolezani - Desde minha adolescência eu tinha essa vontade, mas, não tinha nenhuma coragem. Por ser muito introspectivo eu achava que não era a minha área. Entrei então na Faculdade de Economia e Administração e lá fiquei por uns 3 anos. Esse tempo foi o suficiente para eu perceber que não era o que eu queria. Larguei a FEA e fui atrás do que sempre quis. Cursei Teatro e a Faculdade de Rádio e Televisão. Não sei te dizer exatamente o momento em que decidi pela profissão de ator, mas, sei dizer exatamente o momento em que decidi deixar para trás a economia. Isso foi muito libertador para mim. Quase todo mundo faz coisas na vida sem, de fato, querer. Quando nos damos conta muito tempo já passou e fica mais difícil voltar atrás ou mudar de rumo.

TV Brasil - Como ator, você já fez outros trabalhos no teatro e na TV, mas, qual o peso que esse papel de protagonista tem para sua carreira?

Flávio Tolezani - É por enquanto o de maior peso para os olhos do grande público, sem dúvida. É muita responsabilidade protagonizar um trabalho com essa proporção. A dedicação tem que ser total. Trabalhar todos dias, o dia todo pela novela. Se não é no estúdio, é em casa estudando. O espaço para um deslize é muito pequeno, ou não existe. Tudo tem que ser muito imediato. Após o término das gravações, para mim, é só mais um trabalho que passou. Meu foco segue para o próximo trabalho sendo ele do “tamanho” que for.

TV Brasil - Olhando sua carreira, qual o papel mais difícil que já interpretou?

Flávio Tolezani - Acho que o mais difícil foi o Orestes, papel que fiz numa montagem do Grupo Folias baseada na tragédia de Ésquilo, Oresteia – O Canto do Bode.

TV Brasil - Depois de fazer um personagem conquistador em Divã e agora com o Eduardo, acha que pode vir a ser visto como um galã?

Flávio Tolezani - O que é ser galã?

Flavio Tolezani
(Foto: Divulgação)

TV Brasil - Em meio ao trabalho, como é o Flávio em casa? A sua família acompanha seu trabalho?

Flávio Tolezani - Sou muito caseiro. Ficamos muito em casa, estudando, trabalhando ou simplesmente cuidando das nossas coisinhas. Cozinho, adoro cozinhar. A família acompanha muito. Família coruja que me dá o retorno crítico dos trabalhos.

TV Brasil - Você tem outros projetos?

Flávio Tolezani - Tenho. Estou ensaiando um novo espetáculo que estreia em junho em São Paulo: The Pillowman. Agora estou viajando com o espetáculo Hécuba. Faremos mais oito cidades até o começo de maio.

TV Brasil - Além de atuar, realiza outras atividades? O que gosta de fazer quando tem tempo livre?

Flávio Tolezani - No teatro sou também cenógrafo. Dividia meu tempo entre atuar e criar cenário. Hoje minha dedicação é bem maior, ou quase total, na função de ator. Vivo do teatro. No tempo livre vou assistir teatro, vou ao cinema e sempre que possível viajo. Quando não consigo viajar, pego minha filha e esposa e vou até o parque do Ibirapuera. Um dos meus lugares preferidos em São Paulo.