Texto Amanda Pieranti / Fotos: Tony Andrade e TV Globo/Divvulgação

Renan Ribeiro
(Foto: Tony Andrade)

Não tem como entrevistar o ator Renan Ribeiro, hoje com 17 anos e não se lembrar dele aos 8 anos, quando começou na tevê em Alma Gêmea, na pele do arteiro Carlito. O ruivinho, que sempre chamou a atenção em campanhas publicitárias, foi descoberto modelando. Chamado para um teste para a peça O Mistério do Fantasma Apavorado, de Walcyr Carrasco, foi aprovado e não parou mais de interpretar. O jovem, que cresceu não só em tamanho, mas, em talento, agora, está de volta na novela Gabriela, da Globo. Ele faz Chico Moleza, o atendente que honra o nome, no bar Vesúvio, de Seu Nacib (Hurmberto Martins). Desta caminhada como ator, que espera ser longa, Renan tem boas recordações. Como da primeira vez em que pisou em um estúdio de gravação. “Eu estava muito nervoso. O (diretor) Jorge Fernando me chamou no canto e falou que eu estava em casa. Ele me disse para relaxar e fazer tudo como eu estivesse fazendo na minha vida e ir colocando as características do personagem. A partir dali eu passei a me encantar com aquele universo. Mas, foi depois de O Profeta que comecei a gostar mesmo”, recorda-se. Ciente que as carreiras ligadas à mídia são instáveis, Renan confessa que tem pensado bastante em seu futuro profissional. “É tudo incerto. Uma hora você está bem, o tempo todo na mídia, fãs, fazendo matérias, fotos e de repente não tem nada disso. Imagina quando eu tiver minha família, como eu vou fazer para sustentá-la se o salário não cair todo mês?”, observa o ator, que tem vivido as ansiedades e dúvidas comuns à profissão. “Tenho sorte que costumo emendar um trabalho no outro, mas mesmo esse momento entre esperar acontecer e fechar contrato, fico doente, não consigo dormir, fico muito pilhado. Contudo, o bom da minha carreira é que me dou por inteiro, seja em qualquer projeto bom ou não financeiramente, vou para fazer meu melhor”, declara.

Renan Ribeiro em cena de "Gabriela"
(Foto: TV Globo/Divulgação)

Paixão pela música

Outra paixão de Renan é a música. Há um ano e meio ele é vocalista e compositor da Banda Fusion. “Gosto muito de cantar e a nossa banda toca o que eu costumo chamar de pop rock mais forte”, conta ele, que adora música brasileira. “Sou muito patriota. Gosto da banda Baia, de Renato Russo e Raul Seixas, mas, também, ouço coisas lá de fora como Thirty Second to Mars e Michael Jackson. Também estou gostando bastante do trabalho novo do Justin Bieber”, revela. A influência musical veio do pai, o bancário Henrique Gazetta. “Ele sempre tocou violão e cantava comigo e com minha irmã”, conta o ator, que quando compões não tem um ritual. “É de lua. Tem vezes que você tem que fazer a música, em um determinado estilo e assunto. Quando eu tenho que fazer música de amor, coloco uma música lenta, acendo um incenso e vou escrevendo. Depois vou lendo e vendo o que combina. E, cada vez que você reler, você dá uma melhorada, acrescenta coisas”, diz. “A gente acaba se inspirando em momentos bons ou ruins da vida. Quando você não está bem, também faz uma música e meio que tira aquele sentimento de você”, conta Renan, que ainda tem a ajuda do pai para organizar os pensamentos.

Banda Fusion

(Foto: Divulgação)

Solteiríssimo

Mesmo em meio a tantos amores que o motivam, Renan Ribeiro está solteiro. “Mas, a gente nunca está sozinho”, lembra ele, que se liga muito no cheiro característico da amada. “Também gosto do toque, da textura da pele e da personalidade. E, não pode ficar ligando de cinco em cinco minutos”, avisa ele que tem seu momentos românticos, mas, atualmente, não está muito para relacionamentos sérios. "Tenho “Tenho também esse desapego amoroso do homem”, responde aos risos.