Texto Núcia Ferreira | Adaptação Web Evelyn Cristine

Médico irá expor histórias inéditas de Michael Jackson em livro
Foto: Just Jared 

Michael Jackson (1958-2009) continua surpreendendo os fãs mesmo depois de sua morte. E tem gente que continua lucrando com as histórias sobre a vida do astro americano... Conrad Murray (63), médico que foi responsabilizado por sua morte, promete abalar o mundo da música com um livro explosivo sobre o cantor. A publicação, que terá o título de This Is It (nome de uma das canções de Jackson que em português significa ‘É Isso’), será recheada de histórias chocantes, como os planos de Michael em se casar com uma atriz de 12 anos de idade.

Em entrevista ao tablóide britânico Daily Mirror, Conrad contou que Jackson se apaixonou por uma atriz mirim britância quando ela tinha 11 anos e logo depois planejava se unir a ela. Mas essa teria sido a segunda escolha do cantor. Murray afirma que Jackson se encantou por outra menina, filha de um amigo, quando a criança tinha apenas cinco anos de idade! “Esta é a história sobre quem Michael Jackson realmente era”, garantiu o médico do Rei do Pop.

O médico faz questão de ressaltar que o livro é um relato verdadeiro dos últimos três anos da vida de Jackson e que foi redigido a pedido do astro do pop. “Muitas coisas foram escritas sobre Michael por pessoas que não o conheciam ou nada entendiam sobre ele ou sobre sua vida pessoal. Por pouco mais de três anos, eu falei com ele todos os dias e estava com ele a cada semana. Ele me disse: ‘Eu tenho quatro membros na família, Conrad: você, Paris (17), Prince (18) e Blanket (13).”, disse o médico, que faz mistério sobre o episódio da vida de Jackson em que ele foi acusado de assediar crianças. “O livro responde a todas essas perguntas”, garantiu ele em entrevista recente.

Desde que divulgou estar escrevendo um livro sobre a vida de Michael Jackson, Conrad foi questionado pela imprensa internacional se não teria a intenção de lucrar com a morte do cantor. “Se traz algumas gratificações, tudo bem. Mas o dinheiro nunca foi minha motivação”. Em 2011, Conrad cumpriu dois anos de prisão por homicídio culposo na morte de Michael. Ele recebia cerca de R$ 450 mil do artista como seu médico particular e foi considerado culpado após dar uma dose de Propofol. Durante a conversa, ele alegou inocência e ainda revelou que mantém contato espiritual com o artista. Conrad foi solto em 2013 e desde então está preparando o ‘livro-bomba’.

Revista Conta Mais - Ed. 809